Samba do Migrante

Detalhes

19:00
29/05/2019
Auditório Radamés Gnattali

O Samba do Migrante nasceu para reunir os músicos estrangeiros que moram, ou estão de passagem no Rio de Janeiro. Motivados em aprofundar o conhecimento da música popular brasileira, o Rio conta com a presença de muitos migrantes que participam nas rodas de samba e choro da cidade. Durante o carnaval é fácil encontrar muitos deles, nas baterias das escolas de samba. Alguns ficam, outros vão embora. A maioria vai e vem. São os migrantes do Século XXI. O Samba do Migrante leva ao palco um repertório que começa pelas composições de dois grandes nomes da música brasileira de origem italiana: Adoniran Barbosa e Dorival Caymmi. A escolha musical da banda continua sobre as notas de Toquinho, Vinícius de Moraes e Chico Buarque que, com o “Samba de Orly” e "La voglia la pazzia", conectaram idealmente a Europa com o Brasil, além de representar a época do exílio na qual os músicos brasileiros tocavam na Europa. Com a chegada da influência da música norte americana, o grandioso Jackson do Pandeiro fez a famosa música “Chiclete com Banana”, onde o autor alagoano descreve a relação entre o samba e a música que vinha dos Estados Unidos. A mesma influência se encontra com a volta de Carmen Miranda ao Brasil depois da sua tournée nos EUA na celebre música "Disseram que eu voltei americanizada". A viagem musical do Samba do Migrante continua com as notas da música “Canto das Três Raças” que traz uma mensagem de convivência e tolerância sobre a diversidade no Brasil. Apresenta ainda músicas da tradição popular italiana, como a tarantella, com um arranjo em estilo de choro, ao qual se junta um dos máximos compositores desse gênero: Jacob do Bandolim. Também chama a atenção do público para composições de sambistas estrangeiros que fizeram samba em língua portuguesa relatando a importância de não ter preconceitos no âmbito da música. O show do grupo termina na alegria com um partido alto que leva a brincadeira entre a língua portuguesa e inglesa: “Samba do Approach” de Zeca Baleiro. Assim, fica a nossa forma de homenagem à cultura brasileira que nos acolheu, fazendo arte e música para o mundo.

Samba do Migrante é: 

Lorenzo Andraghetti (voz e pandeiro) / Marta Micheli (voz) / Pedro Messina (violão 7 cordas) / Floor Polder (flauta) / Cristian Ferlito (cavaquinho) / Andrea Raccichini, Marco Migotto e Ferran Rebollo Tamarit (percussões). 


Compre seu ingresso aqui!


Mídias:

 

curta nossa página

Parceiros:
EPM